O brasileiro Ilan Kruglianskas, turista brasileiro que ficou detido injustamente na Tailândia, lança campanha de financiamento coletivo para publicar o relato de sua viagem. Um livro (Me Tirem Daqui – Relato de uma detenção), que vai “te prender” da primeira à última página! A campanha está disponível no Bookstart, primeira plataforma brasileira de financiamento coletivo específica para literatura, no endereço:  http://www.bookstart.com.br/metiremdaqui

 

 

Ilan Kbruglianskas

Ilan Kruglianskas

 

Viajante experiente e conhecedor dos quatro cantos do planeta, o paulistano Ilan Kruglianskas experimentou momentos de tensão extrema em sua ultima viagem à Tailândia, em 2014.  A vida atrás das grades foi uma das experiências mais marcantes que passou em sua vida, que originou no comovente relato sobre essa vivência e discussões sobre o que significa a liberdade. Agora todos podem conhecer esse texto através de seu livro “Tirem-me daqui! – Relato de uma detenção”.Me tirem daqui!

Em abril do ano passado, Ilan foi preso após um funcionário da imigração tailandesa esquecer de carimbar o seu passaporte. A burocracia e o fato do país asiático estar em um feriado nacional dificultaram a liberação do brasileiro.

Esteve preso por quase uma semana! Durante esse período, ele teve que lidar com todas as restrições de uma vida carcerária em Bangcoc, passando por várias celas. Momentos de incerteza e tensão que agora foram transformados em um relato contundente, vívido e inspirador, onde Ilan detalha os fatos que o colocaram injustamente atrás das grades, o dia a dia da detenção e a sensação maravilhosa de readquirir a liberdade.

Através de sua história, o leitor pode se aproximar do significado do sentimento de liberdade, que muitas vezes esquecemos de valorizar. Ao passar por momentos difíceis e situações tragicômicas; e ao conhecer histórias reais e tristes, Ilan aprendeu a valorizar ainda mais a liberdade e o respeito. Conheceu relatos de detentos na cela que dividiu com mais de cem pessoas, dormindo no chão. Percebeu, entre outros, que a aparência pode camuflar histórias maravilhosas de pessoas que só buscavam uma vida melhor.

Além da história vivenciada na Tailândia, Kruglianskas tem muitos fascinantes relatos sobre as experiências passadas em suas inúmeras viagens através do mundo.

Também o modo como o autor está publicando seu livro é instigante para a matéria: a partir de uma nova plataforma de financiamento coletivo (Crowdfunding), chamada Bookstart, Ilan busca que que essa história de esperança e superação atinja o maior número possível de pessoas. Para ser publicado, o livro precisa da ajuda de todos. A idéia é simples: um grupo de colaboradores contribui com determinadas quantias em dinheiro para que um projeto seja viabilizado.

 

Veja a seguir detalhes da campanha (é coordenada pelo multicultural José Luiz Goldfarb, que durante 22 anos foi curador do Prêmio Jabuti, o principal da literatura no Brasil):

 

 

LANÇAMENTO: Me tirem daqui! – Relato de uma detenção, de Ilan Kruglianskas

 

Turista brasileiro que ficou detido injustamente na Tailândia lança campanha de financiamento coletivo para publicar o relato de sua viagem. Um livro que vai te “prender” da primeira à última página!

 

A campanha está disponível no Bookstart, primeira plataforma brasileira de financiamento coletivo específica para literatura, no endereço:
http://www.bookstart.com.br/metiremdaqui

 

 

Ilan Kruglianskas gosta da natureza e aprecia conhecer lugares exóticos. Por isso, viajou para vários países, munido de muita curiosidade e de sua câmera, com a qual realiza registros fotográficos deslumbrantes.

 Em cada lugar por onde passou, colheu diversas amizades, lembranças felizes e, como não poderia deixar de ser, muitas fotografias.

 

Em abril de 2014, Ilan fazia turismo na Tailândia, numa viagem tão empolgante quanto todas as anteriores: muitos cenários novos, nativos com costumes inimagináveis e toda sorte de descobertas geográficas e culturais que a Ásia oferece.

Tudo transcorria bem até que, num de seus deslocamentos, Ilan foi vítima de um erro do funcionário da imigração. A falta de um carimbo em seu passaporte fez com que ele fosse preso e tivesse que lidar com todas as restrições da vida carcerária.

Cenas da prisão

Cenas da prisão

 

Para piorar a situação, a burocracia e um feriado nacional se combinaram de tal forma que Ilan acabou detido numa cela em Bangkok, até que conseguisse a tão sonhada liberdade para voltar ao Brasil.

A lembrança das duríssimas privações que experimentou na cadeia está muito viva na memória de Ilan até hoje, especialmente porque ele as registrou por escrito.

Em seu relato, Ilan detalha os fatos que o colocaram injustamente atrás das grades, o dia a dia da detenção e a sensação maravilhosa de readquirir a liberdade.

A partir da plataforma de financiamento coletivo Bookstart, Ilan deseja que essa história de esperança e superação atinja o maior número possível de pessoas, por isso ele conta com sua contribuição para publicar seu depoimento no livro “Tirem-me daqui! – Relato de uma detenção”.

 

 

As pessoas que pretendem apoiar o projeto devem entrar no site http://www.bookstart.com.br/metiremdaqui.

 

 

 

Pacote e-book R$ 18,00

 

 

Contribuindo com R$18,00, recebe o e-book “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

 

 

 

Pacote Livro Impresso - R$ 45,00

 

 

Contribuindo com R$45,00, recebe:

O livro impresso “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”;

O e-book “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

 

 

 

Pacote Poster - R$ 75,00

 

 

Contribuindo com R$75,00, recebe:

Um pôster reproduzindo uma fotografia da viagem do autor.

Um livro impresso “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

O e-book “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

 

 

 

pacote palestra

 

 

Contribuindo com R$700,00, recebe:

Uma palestra exclusiva com Ilan Kruglianskas, em que ele relatará sua emocionante experiência narrada no livro. O local da palestra pode ser escolhido pelo apoiador;

Uma mostra fotográfica, no mesmo dia da palestra, com ampliações de imagens obtidas pelo autor em sua viagem;

Três exemplares do livro impresso “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”;

O e-book “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”;

 

Obs: As despesas de transporte, alimentação e hospedagem são por conta do apoiador.

 

 

 

Pacote Patrocinador

 

 

Contribuindo com R$2.000,00, ajuda o projeto a se tornar realidade e tem seu logotipo estampado em diversas peças, dentro de uma estratégia de divulgação privilegiada que alcançará um público engajado estimado de 500.000 pessoas.

Confira as “recompensas”:

logotipo estampado na contracapa de todos os livros;

logotipo estampando nas mídias online do projeto;

logotipo estampado na página da Campanha aqui no Bookstart;

Cinco exemplares do livro impresso “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

O e-book “Me tirem daqui! – Relato de uma detenção”.

 

Sobre Ilan  Kruglianskas, por ele mesmo

“Meu nome é Ilan Druglianskas. Sou engenheiro agrônomo, formado pela ESALQ em Piracicaba, onde vivi por oito anos lá, em republicas de dez pessoas e com alguns amigos. Fiz mestrado em Ciência Ambiental na USP e sempre trabalhei com meio ambiente. Um pouquinho de tudo já fiz.

Fui coordenador de um programa de Agricultura na ONG WWF por quase quatro anos em Brasília. Viajei o Brasil inteiro, em lugares instigantes como oAcre, todo interior do Mato Grosso, cidadezinhas do Amazonas, Pará e interior de São Paulo.

No livro, Ilan Kbruglianskas fala também sobre suas outras viagens

No livro, Ilan Kruglianskas fala também sobre suas outras viagens

Mudei-me para Oxford para trabalhar em uma consultoria em sustentabilidade (nunca tinha estado em Oxford antes. E fui de mala e cuia) e viajei a trabalho para vários países na Europa, na Ásia, na África e América Latina, inclusive muitas cidadezinhas nos diversos países. E sempre com algumas viagens de férias nesses ínterins.
Meu sobrenome é lituano e tenho que explicar isso quase todos os dias da minha vida (“não, não é grego; meu avô era lituano…”). Minha família tem origem judaica. Resolvi, quando morava na Europa, em uma dessas viagens de férias, visitar a cidadezinha do meu avô, mesmo que ele tenha guardado para sempre as lembranças de atos antissemitas cometidos diariamente por lituanos. Encontrei lugares lindos, pessoas simpáticas e o maior cemitério abandonado que já vi. Não tem nenhum judeu na cidade, mas o cemitério judaico é gigantesco. E tem alguns túmulos pichados com suásticas.
Depois de morar sete anos na Inglaterra (metade desse período em Londres, também como consultor autônomo), resolvi fazer uma viagem parecida com a que havia feito três anos antes para Tailândia, Laos e Camboja. Só que agora fiz uma viagem de dois meses (pois resolvi que retornaria de vez ao Brasil em 2014). Fui para Tailândia, Malásia, Sumatra e Aceh ( se fala Achê, norte da Indonésia), Mianmar (Birmânia) e…, quando estava a caminho das Filipinas, com passagem de uma noite em Bangcoc, fui preso no aeroporto Tailandês. O pesadelo durou uma semana, mas a experiência deixou marcas e ensinamentos para sempre. Fiquei em várias celas, sozinho e, também, com mais de 100 pessoas. Algumas eram perigosas, mas havia também pessoas maravilhosas e interessantíssimas, com histórias de vida impressionantes. E decidi que deveria compartilhar todas essas experiências, através de um livro.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS