Conhecida casa mineira passa a servir o café da manhã colonial todos os domingos e feriados, das 8h às 11h30.

Um antigo sonho de Elzinha Nunes, sócia do restaurante Dona Lucinha em São Paulo e filha da conhecida cozinheira de Minas Gerais, sai, literalmente, do forno no próximo domingo, dia 16 de dezembro. Ela lança o Café da Manhã Colonial Mineiro, da região do Vale do Jequitinhonha. A casa passou recentemente por uma ampla reforma. A frente ganhou um simpático terraço, que serve como um boteco mineiro; o salão principal foi repaginado, ficando com um ar mais arejado; e o restaurante ganhou ainda uma sala no andar superior, própria para aniversários e eventos corporativos. “O Café da Manhã Colonial Mineiro marca uma nova etapa em nosso restaurante”, diz Elzinha Nunes, que acrescenta: “Procuramos trazer para o café toda a variedade e delicadeza das nossas tradicionais receitas mineiras. Será uma grande novidade na região de Moema”.

O Café da Manhã será oferecido todos os domingos e feriados, das 8h às 11h30, ao preço de R$ 31,90 por pessoa. Bebidas que não estão no cardápio, assim como os 10% da taxa de serviço, serão cobrados à parte. Crianças até seis anos não pagam. Crianças de 7 a 11 anos pagam metade. O estacionamento sai por R$ 15,00.

Veja a seguir o menu completo:

CAFÉ DA MANHÃ COLONIAL MINEIRO

A partir de 16 de dezembro, aos domingos e feriados, das 8h às 11h30.

Bebidas:

Café de Coador
Chá Cabeça Cansada (maça e maracujá)
Chá de Erva Cidreira com Limão
Leite Puro
Leite Queimadinho com Cravo e Canela

Sucos Naturais:

Laranja
Melancia
Suco Verde (couve e laranja)

Iogurtes Natural e com Frutas:

Iogurte Natural
Creme de Abacate
Iogurte Caseiro com Manga
Frutas Picadas

Acompanhamentos:

Açúcar Mascavo
Rapadura Raspada
Adoçantes
Aveia em Flocos
Granola
Linhaça Dourada
Manteiga da Roça
Peito de Peru
Presunto Magro
Queijo Minas Frescal
Queijo Minas Padrão Serro
Requeijão cremoso
Mel de Engenho

No Buffet:

Pão de Queijo
Biscoito de Goma da Roça
Biscoito de Goma Crocante
Bolo de Milho Verde
Bolo de Cenoura com Chocolate
Bolo de Fubá Cremoso c/queijo do Serro
Broa de Fubá de Canjica
Empadão Mineiro
Pão de Batata com Frango Desfiado
Pão de Forma Integral
Pão Francês
Pau a Pic
Bolinho de Chuva
Biscoito Frito
Sanduíche de Peito de Peru
Mineirinho (pão francês quente com queijo Minas)

Feito na hora no Salão:

Ovos Mexidos
Mingau de Fubá
Cuscuz de Rapadura e Queijo

Sobre o restaurante Dona Lucinha

O simpático restaurante, instalado no bairro de Moema, segue a tradição das duas casas de Belo Horizonte. Preserva o gosto e a cultura alimentar dos tempos coloniais de Minas Gerais. Resultante de técnicas, saberes e toques afro-indígena e português, as carnes são aliviadas com o uso da cachaça e do limão; o urucum é usado em abundância e o sal em pitadas. Com predominância do verde, legumes e folhas, refogados ou crus, marcam forte presença na cozinha do restaurante. Não há um único enlatado na casa. Cerca de 70% dos produtos utilizados chegam da fazenda que a família tem em Minas, resgatando a cozinha original, quando não era usado nenhum creme, pasta, defumado ou enlatado, e sim apenas o que se colhia, por tradição, nas pequenas hortas das fazendas ou vilas. Doces de leite, ovos e frutas em forma de compotas e licores caseiros.

Há opções de pratos a la carte e um conhecido buffet, com pratos da cozinha tropeira e da fazenda. Entre as diversas receitas da região do Serro, Costelinha frita com alho, Feijão Tropeiro, Tutu à Mineira, Vaca Atolada, Rabada com Agrião, Galinhada e, aos sábados, domingos e feriados, Pernil à Pururuca na chapa. Também destaca a famosa mesa de quitutes caseiros, feitos em tachos e sem conservantes, que traz delícias como ambrosia, espera marido, doce de abóbora com coco e, é claro, doce de leite.

O preço do buffet no almoço de sábados, domingos e feriados é de R$ 56,00 por pessoa, A salada é levada às mesas e as sobremesas estão inclusas. Já no almoço de terças a sextas-feiras é de R$ 47,00 (sem as sobremesas, sai por R$ 38,00). Durante a semana, no almoço também há a opção dos pratos executivos (também chamados de mineirinhos) quase são cada vez mais pedidos, como o Itacolomi, Serro do Frio, Vila do Príncipe, Rio do Peixe, Arraial do Tijuco e Serra do Cipó.

A casa possui uma extensa carta de cachaças, entre elas a Cachaça da Dona Lucinha. Produzida na Cidade do Serro (terra de Dona Lucinha), a cachaça prata é armazenada em jequitibá Rosa e a ouro, em tonel de carvalho. “Produzidas com a qualidade e com a credibilidade da marca Dona Lucinha”, destaca Elzinha Nunes.

 

Dona Lucinha – Av. dos Chibarás, 399 – Moema – tel: 11-5051-2050 – Lugares: 100; www.donalucinha.com.br

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS