Na próxima sexta-feira, dia 21 de junho, começa o Inverno e com sua chegada há um considerável aumento no número de alergias e resfriados. Segundo dados da World Allergy Organization ( WAO),  as doenças alérgicas afetam de 30% a 40% da população mundial.  

O dia 21 de junho marca o começo do inverno e muitas vezes a chegada do frio é companhada por um ou vários visitantes indesejados, como gripes, resfriados e alergias.  Segundo a World Allergy Organization, as doenças alérgicas afetam de 30 a 40% da população mundial e que as alergias comuns, como rinite e urticária, atingem mais de 10% das crianças e mais de 20% dos adolescentes em todo o mundo, além de uma considerável parcela da população idosa.

Os sintomas de gripes e resfriados são muitas vezes confundidos com os da Alergia.  Quem sofre de rinite alérgica, por exemplo, têm espirros, coriza, coceira no nariz e nos olhos, olhos vermelhos e nariz entupido; mas não apresenta febre ou dor no corpo, nem oferece risco de contágio, diferentemente dos resfriados.

Com as baixas temperaturas, no inverno os dias podem ser mais úmidos, com chuvas e neblina, ou mais secos com baixa umidade relativa do ar. Nos dias chuvosos, as janelas das residências e escritórios  costumam ficar fechadas, o que facilita a proliferação do mofo e o aumento da população de ácaros nas residências. Já em dias secos, o índice de poluição aumenta, o que pode levar a uma potente irritação para o nariz e intensificação dos sintomas da alergia.


Dra Ana Paula Moschione Castro

A Dra. Ana Paula Moschione Castro, diretora  da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia), dá algumas importantes dicas de cuidados simples que podem ser tomados para evitar ataques de alergias, como os da rinite alérgica: “Casacos e blusas de lã, companheiros nessa luta contra o frio, devem ser lavados antes de serem usados. Por por estarem há tempos no armário, acumularam fungos e ácaros. Manter as janelas abertas apesar do frio ajuda na circulação do ar e higiene do ambiente. Em dias secos, tomar muita água é fundamental e higienizar o nariz com soros também pode ajudar.
Além disso, os animais de estimação não devem ficar circulando pelo quarto do alérgico”, afirma a especialista, que acrescenta: “mesmo com o controle de fatores desencadeantes de alergias no ambiente, o médico poderá ainda receitar medicamentos para controle dos sintomas, como anti-histamínicos e corticosteróides intranasais.” O anti-histamínico loratadina, por exemplo, está entre os mais recomendados, pois proporciona alívio dos sintomas por 24 horas sem causar sonolência.

 

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS