Por Airton Gontow

 

Quando criei o Coroa Metade gostava de dizer que era um site voltado às pessoas que sabem o que querem. Hoje, após quatro anos e meio convivendo diariamente com o público maduro, aprendi que ninguém sabe realmente o que quer. Nem os mais jovens. Nem os mais velhos. Mas posso dizer que uma das poucas vantagens de ser maduro é ao menos saber o que a gente não quer!

Airton Gontow, idealizador e diretor do Coroa Metade

Airton Gontow, idealizador e diretor do Coroa Metade

Essa é uma das grandes vantagens dos sites de relacionamento. Você ter a capacidade de definir perfis e procurar apenas pessoas que tenham as características que procura. Afinidades e objetivos em comum são fundamentais. Claro que não dá para buscar alguém exatamente igual ao que somos. Ninguém quer – ou ao menos não deveria querer – namorar com o próprio espelho. É preciso se adaptar um pouco, aprender com o parceiro ou parceira e ter tolerância com algumas poucas diferenças. Mas termina aí.  Aquela história de que “os opostos se atraem” pode até ser válida para o começo de namoro e, em alguns poucos casos, para toda a vida. De maneira geral, o correto é dizer que “os opostos se traem”.

Claro que todos já vimos felizes e unidos casais formados por pessoas completamente diferentes uma da outra. Não existem fórmulas de amor e felicidade! Mas se falarmos em termos gerais, vemos que quando as pessoas são parecidas, com gostos e objetivos semelhantes, os relacionamentos tendem a ser melhores e mais duradouros.

Estamos festejando que o site chegou a 243 mil usuários e a 49 casamentos realizados. Isso sem contar as pessoas saíram do site para se casar e não avisaram o motivo. Também estamos comemorando o lançamento do nosso App (aplicativo), o que tem trazido cada vez mais usuários ao Coroa Metade.

 

Apesar disso, não gosto da expressão “relacionamento virtual”. Os sites e aplicativos são importantes, mas, por mais que nos aproximemos pela internet, o que continua fundamental é a hora do encontro pessoal.

É olhar, o cheiro, o toque, a energia, o beijo, a pegada…Não somos máquinas! O Virtual aproxima, mas é o Real que une! Mesmo com toda a mecanização do mundo, continuamos a ser, felizmente, absolutamente humanos. Humanos em busca de carinho e de amor!

 

Airton Gontow, 55 anos, é jornalista, cronista e diretor do site de relacionamento Coroa Metade (www.coroametade.com.br).   

             

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS