Estudo indica que de cada quatro cães um está infectado com o “verme do coração”, que pode levar o animal à morte. A  Zoetis, líder mundial em saúde animal, trouxe ao mercado nacional o produto injetável ProHeart SR-12, que protege os cães durante um ano. 

 

Certamente você já ouviu falar sobre os perigos que o  Aedes aegypti, inseto vetor da zika, dengue e chikungunya, representa para os Seres Humanos. Mas você sabia que mosquitos podem causar doenças graves aos nossos melhores amigos: Uma delas das mais graves é a dirofilariose, doença parasitária provocada por vermes que se alojam, principalmente, nas artérias que saem do coração dos cães. Muitas vezes assintomática em sua fase inicial, a enfermidade – também conhecida como “verme do coração” – pode levar o animal à morte. No Brasil, não existem produtos registrados para eliminar os parasitas adultos. Por isso, a prevenção é a única forma de evitar a doença.

No último estudo sobre a incidência da doença no País, a frequência média de infecção por Dirofilaria immitis apresentou números assustadores: de 23,1%; ou seja, quase um entre quatro cães. O estudo anterior, realizado em 2001, havia registrado uma incidência de 2%. Um crescimento monstruoso. Cerca de 1.600 animais de diversas regiões do Brasil foram avaliados nesta pesquisa recente, conduzida pela Dra. Norma Labarthe, auxiliada por especialistas de diversas universidades brasileiras, entre elas a Universidade Federal Fluminense e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

O estado fluminense registrou a maior incidência de animais infectados, pois as altas temperaturas combinadas à proximidade do litoral são adequadas para que as fêmeas de algumas espécies dos gêneros Culex, Ochlerotatus e Aedes se reproduzam. Em Armação dos Búzios, 62,2% dos cachorros foram diagnosticados com antígenos de fêmeas adultas de Dirofilaria immitis. Na região oceânica de Niterói, 58,6%, em Cabo Frio, 27,5%, e em Mangaratiba, 16,3%. Em São Paulo, Bertioga registrou frequência média de infecção de 7,6% e Guarujá, 2,8%.

No Nordeste, as maiores incidências estão na Ilha de Itamaracá, 49,5%, e no Recife, 36,7%, em Pernambuco.  Na Bahia, Salvador, registrou média de 20%, enquanto em Lauro de Freitas, a inicidência é de 20,3%.

No Paraná, a cidade de Guaraqueçaba apresentou frequência média de infecção de 31,8%; Pontal do Paraná, de 26,3%, e Guaratuba, de 24,5%. Em Santa Catarina, Florianópolis registrou 2,1% e Araquari, 7,3%.

Dirofilariose

A dirofilariose, provocada por vermes (Dirofilaria immitis) que se alojam no coração e nas artérias pulmonares dos cães, não apresenta sinais clínicos no início, dificultando que o tutor do animal perceba que ele está doente: “Na maior parte dos casos, os sintomas como tosse, emagrecimento, dificuldade para respirar e intolerância ao exercício só são aparentes após alguns meses da infecção”, afirma a pesquisadora. O diagnóstico deve ser feito por um médico veterinário, que irá se basear nas informações obtidas junto ao tutor e nos exames clínicos e complementares para diagnosticar a presença da doença. “Portanto, a conscientização dos médicos veterinários e do tutor, além da prevenção, é a única forma de evitar a dirofilariose nos animais”, explica Norma Labarthe.

ProHeart SR-12

As altas taxas de prevalência da enfermidade fizeram com que a Zoetis, líder mundial em saúde animal, trouxesse ao mercado o produto injetável ProHeart SR-12. Com a aplicação de dose única, o proprietário consegue manter seu animal protegido por 12 meses. Com tecnologia inédita no mercado , o produto pode ser incorporado ao calendário anual de prevenção de doenças dos cães a partir dos seis meses de idade. “O ProHeart SR-12 contém um sistema inovador de microesferas lipídicas que liberam a moxidectina (endectocida) de forma lenta aos tecidos, permitindo que o animal permaneça protegido contra infecções por um período de 12 meses”, explica o diretor de Animais de Companhia da Zoetis, Tiago Papa.

A companhia já disponibiliza no mercado outra opção para prevenção da doença, o antiparasitário Revolution. À base de selamectina, o produto também age contra o verme do coração, explica Tiago Papo, que acrescenta: “Revolution é a pipeta mais completa do mercado, pois além de atuar de forma eficaz no combate à dirofilariose, também age contra vermes intestinais, sarna de ouvido, sarna sarcóptica, piolhos, pulgas e carrapatos”. Com uma aplicação mensal, fácil e rápida sobre a pele do pescoço, o medicamento é absorvido cerca de duas horas após o uso e, logo após a secagem do produto, o animal já pode voltar ao convívio familiar. O produto também atua no ambiente, diminuindo a quantidade de larvas e ovos de pulgas presentes.

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS