Produto substitui sete injeções e possibilita a redução de erros e estresse da administração do tratamento, aumentando a chance de sucesso da terapia contra infertilidade. 

 

Já está disponível no mercado brasileiro um novo medicamento que promete simplificar o tratamento da infertilidade. Fabricada pelo laboratório MSD e conhecida comercialmente por Elonva, a alfacorifolitropina tem ação prolongada inovadora e única no mercado.Segundo seus fabricantes, é capaz de contornar algumas situações que podem colocar em risco o resultado da terapia, como os erros na aplicação das injeções para indução da produção de óvulos maduros e o estresse associado ao procedimento de reprodução assistida.

 

Reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma questão de saúde pública, a infertilidade atinge cerca de 16% das mulheres entre 25 e 49 anos na América Latina e no Caribe, segundo relatório da própria OMS.  Quando a mulher tem mais de 35 anos de idade, no entanto, as estimativas vão além: calcula-se que um, entre três casais, apresente problemas para conceber. De acordo com a literatura médica, a infertilidade caracteriza-se pela incapacidade do casal de conceber ou de levar ao término uma gravidez até o parto de um recém-nascido vivo.

 

A alfacorifolitropina é a para muitos a maior inovação do segmento de fertilidade dos últimos 15 anos. Ela confere importantes avanços em direção à maior comodidade da paciente e, por isso, pode aumentar o sucesso do tratamento. Apenas uma aplicação do injetável subcutâneo substitui as sete primeiras injeções diárias da terapia padrão, que, além do incômodo das picadas, ainda exige o cumprimento de uma agenda precisa para a administração e o uso correto do medicamento, o que é apontado como uma das principais causas do abandono das tentativas de engravidar por reprodução assistida.

 

“Há uma medicalização excessiva para tratar a infertilidade. São consultas, exames, intervenções e rotinas que geram grande angústia na paciente, além da própria ansiedade pelo resultado bem-sucedido. Dessa forma, quanto mais simples for a terapia, melhor”, esclarece o ginecologista e professor da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto Rui Alberto Ferriani.  Segundo ele, a alfacorifolitropina é um produto que privilegia esses aspectos, pelo seu uso amigável.

 

Além de tornar mais confortável o tratamento, o novo medicamento apresenta segurança e eficácia comprovadas em estudos clínicos internacionais, incluindo um dos maiores ensaios mundiais realizados até hoje. O novo medicamente apresenta taxa de gravidez (38,9%), semelhante à obtida em pacientes que receberam as sete doses diárias do tratamento padrão (38,1%).9 A alfacorifolitropina tem ainda utilização fácil e precisa, por meio de uma seringa pré-carregada, com dosagem prescrita de acordo com o peso da paciente: 100 mcg, para mulheres com até 60 Kg, ou 150 mcg para as que estão acima dos 60 Kg.

 

Sobre a Infertilidade

  • A infertilidade é uma doença do  sistema reprodutivo, que é definida pela falha em engravidar após 12 meses de  relações sexuais regulares sem proteção.6
  • Cerca 84% dos casais concebem dentro de um ano após o início das relações sexuais regulares sem contracepção. É aconselhado que      aqueles que não obtiverem sucesso ao final desse período submetam-se à investigação clínica sobre infertilidade.
  • Mulheres com idade superior a 35 anos devem procurar avaliação médica antes mesmo do término de um ano.
  • Estima-se que um entre três casais apresente   problemas de infertilidade quando a mulher tem mais de 35 anos de idade.
  • Há causas variadas para a infertilidade, incluindo      deficiência na produção de óvulos ou de espermatozoides e anomalias      genéticas ou congênitas, tanto na mulher como no homem.
  • A infertilidade também está      associada à idade e a certos fatores de risco, como tabagismo, obesidade e  estresse.13
  • Sabe-se que de 20% a 30% dos   casos de infertilidade estão relacionados ao parceiro; entre 20% a 35% são   associados à mulher; de 25% a 40% das ocorrências apresentam-se como um      problema de ambos e, que em 10% a 20% dos episódios nenhuma causa é      encontrada.
  • Existem vários tipos de  tratamento disponíveis para infertilidade: cirurgia, terapia com   medicamentos, indução da ovulação e inseminação, entre outros.

Terapia de reprodução assistida

A estimulação controlada dos ovários é a primeira etapa na maioria dos programas de reprodução assistida para fertilização in vitro e injeção intracitoplasmática de espermatozoides. Confira o passo a passo da terapia:

 

  1. Diagnóstico correto da infertilidade e avaliação da necessidade de terapia de reprodução assistida;
  2. Os ovários são estimulados para induzir o desenvolvimento de vários óvulos;
  3. Indução do amadurecimento dos óvulos para coleta;
  4. Recuperação (coleta) dos óvulos por via vaginal e preparação dos espermatozoides;
  5. Fertilização no laboratório;
  6. Transferência do embrião ao útero;
  7. Constatação e desenvolvimento da gravidez;
  8. Nascimento do bebê.

 

 

Sobre Elonva

Elonva está aprovado para uso em combinação com outros medicamentos para a estimulação controlada do ovário e o desenvolvimento de vários óvulos maduros em mulheres com dificuldade de engravidar naturalmente, submetidas a programas de reprodução assistida para fertilização in vitro e injeção intracitoplasmática de espermatozoides. Possui ação significativamente prolongada, capaz de iniciar e sustentar o crescimento folicular durante toda a semana, por meio de uma única injeção subcutânea. Apresenta-se através de uma solução injetável, límpida e incolor pronta para ser injetada por uma seringa pré-carregada, de uso único, fácil e preciso. A dosagem é prescrita de acordo com o peso da paciente: 100 mcg, para mulheres com até 60 Kg, ou 150 mcg para as que estão acima dos 60 Kg.

 

Sobre MSD

A MSD é líder mundial em cuidados com a saúde e trabalha para ajudar as pessoas de todo o mundo a ficar bem. Por meio de medicamentos, vacinas, terapias biológicas, produtos de consumo e de saúde animal, a empresa trabalha em parceria com os clientes em mais de 140 países para oferecer soluções inovadoras na área da Saúde. “Também faz parte do nosso compromisso buscar alternativas para aumentar o acesso da população a nossos medicamentos e fazemos isso por meio de programas e parcerias em todo o mundo”, informa a assessoria de imprensa da MSD.

 

Sobre MSD no Brasil

Presente no Brasil desde 1952, a MSD conta com cerca de 2.300 funcionários no país, que respondem por todas as divisões globais da companhia: Saúde Humana, Saúde Animal, Produtos de Consumo e Pesquisa Clínica. Sua sede fica em São Paulo, e conta atualmente com seis unidades fabris, nas cidades de São Paulo, Barueri, Sousas, Cruzeiro, Cotia e Fortaleza.

Para mais informações, acesse www.msdonline.com.br.

 

 

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS