São Paulo –  Após a exibição, o professor e físico Luis Carlos de Menezes fala sobre o filme e debate com o público, com a mediação do multicultural José Luiz Goldfarb. O evento, que acontece sempre no primeiro domingo de cada mês, está marcado para 2 de junho, das 15h às 18h. A entrada é franca.

 

Bombeiros queimam livros em Fahrenheit 451

 

Dentro do Núcleo de Redes Sociais do Museu da Imagem e do Som (MIS), de São Paulo, a  #RedeMIS  faz no dia 2 de junho, domingo, das 15h às 18h, o quatro evento do ciclo #CineCiência, série de apresentações de filmes, seguidas de debates, abordando a interface entre o Cinema e a Ciência.  O filme exibido será “Fahrenheit 451”, produção britânica, de 1966, 112min, dirigida por François Truffaut,  com trilha sonora de Bernard Hermann (compositor favorito de Alfred Hitchcock) e direção de fotografia de Nicolas Roeg, com elenco formado por nomes como Oskar Werner (Guy Montag), Julie Christie (Clarisse/Linda Montag), Cyril Cusack (capitão), Anton Diffring (Fabian) e Jeremy Spense (Homem com maçã).

 

Após a exibição, o professor e físico Luis Carlos de Menezes fala sobre o filme e debate com o público, com a mediação do multicultural José Luiz Goldfarb.

No filme de François Truffaut, ler é subversivo

No filme, em um futuro hipotético, os bombeiros têm como principal função queimar toda e qualquer espécie de material impresso, já que foi convencionado que a literatura torna as pessoas infelizes e improdutivas. Mas o bombeiro Montag (Oskar Werner) começa a questionar essa linha de pensamento quando conhece uma mulher que prefere ser queimada com sua vasta biblioteca a permanecer viva.

Perseguido e morto, segundo a versão oficial, ele é levado por Clarisse à terra dos homens-livro, comunidade constituída por pessoas que memorizam os livros e depois os destroem, para poderem ser oportunamente publicados.

 

Sobre o #CineCiência

Os encontros do #CineCiência acontecem desde março, no primeiro domingo de cada mês, sempre com a apresentação de um clássico, comentado por um especialista na área científica em questão e com a mediação de José Luiz Goldfarb, coordenador da #RedeMIS. O debate é sempre transmitido via Twitter, permitindo que pessoas que conheçam o filme e o tema, mas que não estão presentes no MIS, também possam participar do evento.

Lançada em 2010, a #RedeMIS, núcleo de atividades voltadas para a difusão e debate sobre as redes sociais, já realizou quase uma centena de oficinas sobre o uso e aplicação do Twitter em diversas áreas de atuação. Organizou calorosos debates sobre o significado e consequencias das novas mídias digitais nas vidas pessoais e profissionais. “Um ponto esteve sempre em evidência em nossa experiência: o caráter multifacetado no novo mundo que se apresenta no horizonte”, diz Goldfarb. “E foi justamente buscando desenvolver este conceito que lançamos o ciclo #CineCiência, que visa estabelecer um diálogo entre diversas atividades humanas, como a interface entre a Sétima Arte e a Ciência”, completa Goldfarb.

De acordo com o coordenador da #RedeMIS, é possível conhecer como diretores levaram para a telona o fantástico das novidades científicas e tecnológicas.

 

Sobre o debatedor Luis Carlos de Menezes

Bacharel em Física (Universidade de São Paulo – 1967), mestre em Física (Carnegie Mellon University – 1971), doutor em Física (Universitat Regensburg – 1974), professor sênior do Instituto de Física da Universidade de São Paulo)  e orientador do programa de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. Atua na área de Educação, em formação de professores, ensino básico e ensino de  Física e de Ciências. É membro do Conselho Técnico Científico da CAPES para Educação Básica e membro da equipe da Unesco do Projeto de Currículos Integrados para Ensino Médio.

 

Sobre o mediador José Luiz Goldfarb

Bacharel em Física (USP), mestre em Filosofia e História da Ciência (McGill University, Canadá), doutor em História da Ciência (USP), vice-coordenador do Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência, presidente da Cátedra da Cultura Judaica e coordenador do Twitter, na PUC-SP. É Curador do Prêmio Jabuti, presidente do Conselho da Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, assessor de Comunicação e de Redes Sociais da Associação Brasileira ‘A Hebraica’ de São Paulo. É consultor de programas de incentivo à leitura, de projetos do terceiro setor, e de desenvolvimento de ações sociais e educacionais no Twitter e coordenador do projeto #RedeMIS do Museu da Imagem e do Som de São Paulo.

 

 

Ficha Técnica

Nome: #CineCiência (filme e debate)

Filme: Fahrenheit 451  (112 min) Reino Unido, 1966, dirigido por François Truffaut, com elenco formado por nomes como Oskar Werner (Guy Montag), Julie Christie (Clarisse/Linda Montag), Cyril Cusack (capitão), Anton Diffring (Fabian) e Jeremy Spense (Homem com maçã).

Quando: todo o primeiro domingo de cada mês, a partir das 15h (a previsão é que o evento termine por volta das 18h);

Exibição: dia 2 de junho,

Especialista convidado para o dia 2: Luis Carlos de Menezes.

Mediador: José Luiz Goldfarb, coordenador da #RedeMIS

Onde:  Auditório LabMIS do Museu da Imagem e do Som (MIS), na avenida Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo – tel: 11-2117-4777 – www.mis.sp.org.br

Número de lugares:  60

Entrada: franca (retirada do ingresso uma hora antes do início do filme).

Professor:  José Luiz Goldfarb

Público-alvo: Pessoas apaixonadas por Ciência e Cinema, assim como estudantes de Letras e de Jornalismo, jornalistas e pessoas interessadas em debater mídias sociais.

Inscrições: 11-2117-4777, ramal 402

Estacionamento conveniado: R$ 8,00 (desde que a pessoa carimbe o estacionamento na recepção).

Acesso e elevador para cadeirantes

Ar-condicionado: sim

Realização: #RedeMIS

Apoio: Fundação Santa Maria

 

 

 

 

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS