Segundo Henrique Gurgel, médico do Instituto Vita e do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP,  as lesões do quadril afetam cerca de 5 a 6% de todos os atletas adultos, chegando a 24% nos casos de crianças. Em determinados grupos a incidência é significantemente maior, como nas bailarinas (44%), nos jogadores de futebol (13%) e nos corredores (11%).   “No consultório, vemos cada vez mais pessoas praticando agressivamente esportes e, consequentemente,  machucando seus quadris”, diz Gurgel.

 

Cada vez mais aparecem pacientes com lesões no quadril em consultórios médicos do país. E a relação com os esportes de alto rendimento é clara. Segundo o doutor Henrique Gurgel, médico do renomado Instituto Vita e do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, “é cada vez mais frequente a associação do impacto fêmoro-acetabular (IFA) – contato anormal da cabeça do fêmur (osso da coxa) com o acetábulo (osso da bacia) – com a osteoartrose de quadril. “O IFA acontece em esportes de alta performance que envolvem muitas repetições, entre eles futebol, tênis, atletismo, lutas e o surfe”, afirma.

As lesões do quadril afetam cerca de 5 a 6% de todos os atletas adultos, chegando a 24% nos casos de crianças. Em determinados grupos a incidência é significantemente maior, como nas bailarinas (44%), nos jogadores de futebol (13%) e nos corredores (11%).  Isso porque as pessoas buscam mais qualidade de vida e, nesse contexto,  praticam mais esporte. “No consultório, vemos cada vez mais pessoas praticando agressivamente esportes e, consequentemente,  machucando seus quadris”, diz Gurgel, acrescentando que “entre tais lesões,  a incidência do IFA tem aumentado”.

De acordo com o médico, qualquer pessoa que inicie a prática de um esporte, ou aumente a intensidade do mesmo, deve estar com a musculatura fortalecida e preparada. Além disso, é sempre indicado contar com o auxílio de um bom profissional (professor de Educação Física). “Isso se torna mais importante quando falamos em esportes de alta performance, onde a exigência do corpo é maior. Ao sentir qualquer dor no quadril, é necessário parar com a prática do esporte, fazer repouso e usar analgésicos comuns”,  afirma.  Caso a dor persista por mais de uma semana, torna-se necessário procurar um especialista para que o problema seja corretamente diagnosticado e tratado. A dor pode ser consequência de vários problemas, como lesões musculares ou tendíneas, ou de doenças potencialmente mais graves, como o IFA.

O IFA, caso não tratado, pode ser uma importante causa de osteoartrose do quadril. Esta ocorre com a degeneração da cartilagem e afeta cerca de 6% da população mundial, gerando dores incapacitantes que comprometem a qualidade de vida. “Quando a doença progride e não melhora com métodos conservadores, ela é tratada com a substituição da articulação por uma prótese”, explica o ortopedista.

Os pacientes com IFA queixam-se de dores profundas no quadril ou virilha, que pioram quando permanecem muito tempo sentados, ao levantarem-se (sairem do carro, por exemplo) ou ao realizarem movimentos que envolvam flexão e rotação do quadril.

Doutor Henrique Gurgel

Segundo Gurgel, o tratamento de qualquer atleta com IFA deve ser inicialmente não cirúrgico, com medicações, fisioterapia com analgesia e fortalecimento muscular e, por vezes, reeducação no esporte, evitando os movimentos que forçam a articulação.

Caso a dor persista, torna-se necessária a intervenção cirúrgica, que pode ser feita através da artroscopia. “Com pequenas incisões e o auxílio de uma câmera, tratamos todas as lesões existentes, retirando as possíveis saliências ósseas. Assim, o objetivo da cirurgia de artroscopia, além de tratar as lesões, é retirar o fator de risco, prevenindo novos problemas de cartilagem”, afirma o médico.

O objetivo final é, portanto, tratar o IFA, para evitar que este gere a osteoartrose.

Sobre o Instituto Vita

Piscina da unidade Morumbi do Instituto Vita

O Instituto Vita é uma empresa na área da Saúde que oferece uma solução completa e integrada com foco na Vitalidade do indivíduo. É uma clínica que está no ‘meio do caminho’ entre o consultório e o hospital, concentrando em um só lugar todos os aspectos relacionados a devolver a saúde ao paciente. Também é muito conhecido por ser um moderno e conceituado Centro de Medicina Esportiva de Alto Rendimento e referência em Ensino e Pesquisa.

Recentemente o Vita lançou a quinta unidade do grupo – a Vita Reffis – situada dentro do estádio do Morumbi, em privilegiadíssima posição. Com área de 1700 metros quadrados, tem 12 consultórios, o que possibilita que praticamente todos os problemas possam ser tratados em um só lugar.

Para conhecer mais sobre o Instituto Vita, acesse o site www.institutovita.com.br ou telefone para 11-3123-8482.

Doutor Henrique Gurgel é médico do Instituto Vita e do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HCFMUSP

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS