O idealizador e diretor do site de relacionamento Coroa Metade, Airton Gontow, e sua esposa, Maria Pereira Gontow, também diretora do site, viajaram no final de 2015 para Limeira e Piracicaba, cidades do Interior paulista, para conhecer dois casais formados no Coroa Metade.

 

Maria e Airton Gontow com Hélio Faria e Vera Garcia

Maria e Airton Gontow com Hélio Faria e Vera Garcia

Foram dois dias de emoções fortes para Airton Gontow e Maria Pereira Gontow, diretores do site de relacionamento Coroa Metade. O casal viajou no final de 2015 para Limeira e Piracicaba, cidades do Interior paulista, para conhecer dois casais formados no site. Em Limeira, o encontro foi com Vera Garcia e Hélio José de Faria; em Piracicaba, se  encontraram com Paulo Bertaia e Suelli Camilii.

Vera Garcia, 47 anos,  blogueira e amputada do membro superior direito, vivia em Campinas. Hélio, 60 anos, aposentado, residia em Limeira. Os dois se conheceram através do Coroa Metade em setembro de 2013 e estão casados há um ano.

Airton Gontow, Vera e Hélio Faria participaram de uma entrevista no programa “Café com Você”, da “Rádio Mix”, de Limeira, ancorado pela experiente jornalista Hilda Costa. O encontro dos dois casais aconteceu na porta da emissora. Os carros chegaram juntos e já no estacionamento se abraçaram emocionados. Após a entrevista, saíram para jantar e comemorar.

“Se alguém me falasse há alguns anos que  era possível encontrar um grande amor na internet, eu não acreditaria. Hoje posso comprovar que é verdade”, diz Vera Garcia, que teve seu braço direito amputado após um acidente em casa quando tinha 11 anos de idade. Hoje, administra os ótimos blogs “Deficiente  Ciente” (criado em 2009 para ajudar na facilitação da democratização de informações e trabalhar por uma inclusão de qualidade) e o “Namoro Poderoso” (criado em 2015, para dar dicas a quem procura por um amor de verdade).

Hélio e Vera contaram sua história na rádio Mix

Hélio e Vera contaram sua história na rádio Mix

Vera revela que foi objetiva e precisa na sua busca dentro do site Coroa Metade. “Contei no meu perfil que tinha uma deficiência física. Preferia receber uma ou duas mensagens por mês de pessoas que não se importassem a conversar com vários homens que na hora do encontro pessoal se afastassem”. Também escreveu que procurava por um homem maduro, estabilizado, de bem com a vida e que estivesse em busca de um relacionamento sério. Em apenas uma semana recebeu uma mensagem de Hélio. “Ele disse que tinha adorado meu perfil e minha foto”, conta.

Conversaram por algumas semanas pelo site e, depois, por telefone. Procuravam em cada contato perceber se o que o outro dizia era real, se tinha coerência com as frases anteriores. Marcaram um primeiro encontro em um shopping center, em Campinas. “Segui a recomendação dada pelo próprio site Coroa Metade. Foi em um lugar público, com boa circulação de pessoas”, diz Vera.

O primeiro encontro quase virou desencontro. Hélio foi até Campinas e se perdeu no meio do caminho. “Ele ligava à cada cinco minutos para ver se eu ainda estava lá, se não tinha ido embora, se continuava esperando. Foi muito divertido”, recorda. Em  apenas três encontros, começaram a namorar. Meses depois estavam casados.  Primeiro o casal viveu em Limeira. Agora, Vera e Hélio vivem em Paulínia. .

No dia seguinte Airton e Maria Gontow seguiram para Piracicaba, onde conheceram outro casal formado no site: Paulo Bertaia e Sueli Camilli, ambos com 60 anos de idade.  Paulo é fisioterapeuta e empresário. Sueli é poetisa, artista plástica e dona de uma conhecida e tradicional churrascaria de Piracicaba, a Barracão.

Divorciado há quatro anos, pai de três filhos, Paulo procurava por alguém muito específico. Queria namorar com alguém da própria cidade, da mesma faixa etária e de estatura baixa. Isso porque ele tem 1m58. Começou a procurar por sites de relacionamento e foi atraído pelo nome Coroa Metade, que tinha sido recém-lançado. “Vi que poderia ser mais focado naquilo que eu buscava”, diz, acrescentando que apesar de alguns conselhos que recebeu para colocar no perfil que também podia ser alguém de cidades próximas, como Limeira, Americana, Santa Bárbara d’Oeste ou mesmo Campinas, decidiu colocar que só queria de Piracicaba mesmo.  Após alguns dias, quando estava em uma viagem a Ilhabela, recebeu uma mensagem de Sueli. Ela era de Piracicaba, tinha a mesma idade que ele e tinha 1m58!

— Foi em um final de semana de abril de 2013. Eu estava na casa da minha prima lá na praia e contei para que havia uma pessoa interessada em conhecer-me. Minha prima respondeu que talvez fosse a minha alma gêmea.

Paulo e Sueli conversaram muito, em Ilhabela e Piracicaba, por chat e e-mail, até que resolveram se encontrar. Marcaram em um local público, um Centro da Filosofia Tao, no bairro Nova Piracicaba. Por um acaso, chegaram na mesma hora, em lados diferentes do local do encontro. Cada um veio caminhando de um lado. Quando chegaram próximos, ela correu para abraçá-lo. Mas ele achava que ela já estava dentro do lugar marcado e não a reconheceu, porque Sueli estava de óculos escuros.  Paulo achou esquisito um abraço tão efusivo e pensou: “quem é essa maluca”. Mas foi mais delicado na pergunta:

– Desculpe-me. Não estou reconhecendo você. De onde nos conhecemos? Acho que você está me confundindo com alguém…

Ela olhou espantada e disse: –  Sou eu, a Sueli.

Paulo afastou um pouco o corpo, olhou-a bem e exclamou: – Mas você é uma menina!

Os dois se abraçaram novamente.

–  Incrível, na mesma hora que nos vimos sentimos que tínhamos encontrado o que procurávamos.  Parecia que eu o conhecia há muito tempo – conta Sueli, mãe de dois filhos, também divorciada.

Paulo acrescenta: “senti naquele instante: é  ela, encontrei o amor de minha vida’. Foi amor a primeira vista e continuamos apaixonados até hoje, quase três anos depois.

Paulo e Sueli têm uma relação estável mas não desejam ainda morar juntos. “Vivemos em lados opostos da cidade. Por isso, estou procurando por uma casa próxima à dela. Estamos juntos uma ou duas vezes por semana nos dias úteis e o tempo todo aos finais de semana. Às vezes saímos. Às vezes ficamos na casa dela, em outras em minha casa. Adoro cozinhar para a Sueli”, diz.

– Somos um casal maduro e, ao mesmo tempo moderno. Estamos apaixonadíssimos, mas nosso amor não é adolescente. É um amor consciente. Se está tudo tão maravilhoso, para que mudar? Aos menos por enquanto não pensamos em morar juntos. Paulo continuará sendo meu ‘namorido’ e viveremos assim: na minha casa, na casa dele e passeando bastante. Agradecemos muito ao Coroa Metade por ter nos aproximado. Incrível, estávamos tão longe e tão perto. Agora, felizmente, estamos vivendo aos 60 anos uma linda história de amor.

Encontro dos diretores do Coroa Metade com Paulo e Sueli

Encontro dos diretores do Coroa Metade com Paulo e Sueli

O encontro de Airton e Maria Gontow com Paulo e Sueli aconteceu na Churrascaria Barração: “Foi emocionante. Sempre digo que sou um dos poucos empresários do País que festeja à cada cliente que perde. É gratificando quando duas pessoas passam mensagens dizendo que sairão do site porque encontraram o que procuravam. O encontro com Paulo e Sueli foi, em todos os sentidos, uma delícia”, diz Airton Gontow.

 

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS