Outono, a estação que marca a queda das folhas das árvores é também o período em que cai a saúde de muita gente. Na estação que se estende até meados de junho, as doenças respiratórias merecem atenção especial.  “Além da gripe, temos outras ligadas ao sistema respiratório como o resfriado, que podem complicar e evoluir para casos de pneumonia e sinusite”, alerta Elisa Maria Beirão, infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo. 

A proliferação dos problemas está relacionada à situação climática predominante nessa estação, caracterizada por queda na temperatura. “Esse tempo frio e seco traz condições ideais para as doenças respiratórias. Além disso, temos o aumento do nível de poluição do ar devido à falta de chuvas e ventos”, analisa a especialista. 

No caso de suspeita dessas doenças, o ideal é que um médico seja consultado, já que toda medicação deve ser prescrita por um profissional habilitado. “Além desse aspecto, existe a possibilidade de complicação de doenças aparentemente benignas, como o resfriado comum, que são melhor diagnosticadas e tratadas por um profissional da saúde”, diz Elisa.

No caso da gripe, transmitida de forma direta, por meio de secreções respiratórias; e indireta, via contato com superfícies contaminadas pelas mesmas, a dica da doutora Elisa Maria Beirão é que sejam adotas medidas, como as enumeradas abaixo::

  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir com o braço o nariz e boca, quando espirrar ou tossir; 
  • Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível, ambientes com aglomeração;
  • Manter distância de indivíduos com sintomas gripais;
  • Ventilar os ambientes;
  • Lavar as mãos com frequência; 
  • Lavar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social.


 

Sobre o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

 

Localizado à rua  Borges Lagoa, 1.450 – Vila Clementino, zona sul de São Paulo (telefone 11-5080-4000, site www.hpev.com.br), quase ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.400 médicos. Realiza cerca de 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames. Entre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 – Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, conquistado pelo terceiro ano consecutivo em 2013.

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS