por Airton Gontow (direto de Gontowisky)

Neymar, o craque!

Neymar, o craque!

Neymar é o cara.

Podem não gostar do seu cabelo!
Da postura.
Da namorada.
Do seu Jeitão.
Mas não gostar do seu futebol?
Dizer que é jogador das partidas fáceis?
Isso realmente não dá!
Impressionante a capacidade que o brasileiro tem de não valorizar seus grandes ídolos!
Há poucos dias foram tímidas demais as homenagens à estupenda Maria Esther Bueno, maior tenista da história do País, com 19 títulos de Grand Slams (sete deles individuais), e 589 títulos na carreira e quatro anos (1959, 1960, 1964 e 1966) no alto do ranking.
Mas voltemos ao futebol!
O craque brasileiro sofre uma seríssima contusão, volta às vésperas da Copa do Mundo, fica ameaçado de ficar fora da competição, faz seu tratamento com seriedade e volta às vésperas da Copa, sem ritmo e sem o melhor da forma física. É caçado na estreia. Manca, visivelmente, durante boa parte do jogo e mesmo assim não deixa de procurar, incessantemente, participar dos lances. Acaba a partida e ele, é sempre assim, sofre uma saraivada de críticas!
Apenas para lembrar alguns números. O notável Cristiano Ronaldo, está em sua quarta Copa do Mundo. Tem 15 jogos. E sete gols marcados. Menos de 0,5 por partida (0,46). Dois desses gols foram de pênalti. E um em um frango memorável do goleiro. Em 2006, o gajo fez um gol em seis jogos. Em 2010, um em quatro partidas. Em 2014, mais um, em três jogos. Esse ano, finalmente, parece deslanchar. Fez quatro gols em duas partidas. Ah, quase esqueço. Em 15 jogos, em quatro Copas do Mundo, Cristiano Ronaldo deu uma assistência para gol. Uma!
Outro “gigante”, Leonel Messi, tem desempenho ainda mais tímido. São 17 jogos e apenas cinco gols. Média que gira em torno dos 0,3% gols por jogo (0,29). Conhecido também por seus passes mágicos, La Pulga conseguiu a proeza de dar uma assistência para gol em quatro copas disputadas. Messi fez um gol em três partidas da Copa em 2006, nenhum em cinco jogos em 2010, quatro na Copa do Mundo do Brasil (quando foi eleito o melhor jogador, injustamente, já que o melhor da competição foi o holandês Robben e o melhor argentino, Mascherano) e até agora nada na Rússia.
Neymar dos jogos fáceis, Neymar cai cai, fez quatro gols em seis jogos. No quinto, foi violentamente tirado da Copa de 2014, quando fez quatro gols em cinco partidas. Talvez marcasse mais, não tivesse sido alijado da competição na sexta partida. Nunca saberemos. Agora, no primeiro jogo na Copa da Rússia, contra a Suíça, conhecidíssima por defesa quase inexpugnável, não marcou nem sequer teve grande atuação. Está com média de 0,66 gols por partida. Mesmo com menos jogos que os geniais Messi e Cristiano Ronaldo, tem o mesmo número de assistências: uma.
Tem que ter muita inveja ou não saber nada de futebol para falar tão mal, sempre, do futebol do melhor jogador brasileiro.
Neymar é pipoqueiro? Não vai bem em jogos importantes?
Foi campeão paulista em 2010, 2011 e 2012! Em 2010, foi eleito o melhor jogador do torneio. Em 2012, foi artilheiro, com 20 gols em 16 partidas. Ainda em 2010, foi campeão da Copa do Brasil, eleito o craque do campeonato e o artilheiro da competição, com 12 gols em oito jogos. Fez gol na primeira partida da final, contra o Vitória.
Competições nacionais não importam?
Em 2012, Neymar tirou o Santos do longo jejum sem títulos da Libertadores. Foi eleito o melhor jogador do torneio. Foi também o artilheiro, com oito gols em 12 jogos, um deles na grande final, contra o Penharol.
Não daria certo na Europa?
Seria uma nova edição de Robinho e Denílson (ambos, aliás, ótimos jogadores)? Rapidamente se tornou ídolo do Barcelona. Foi importante nas conquistas do bi espanhol em 2014-15 e 2015-16; da Copa do Rei 2014-15, 2015-16 e 2016-17; do Mundial de Clubes em 2015. Na Liga dos Campeões de 2014, foi o artilheiro, em 10 gols em 12 partidas. Em 2017, mesmo sem conquistar o título, assombrou o mundo a liderar o Barcelona na grande virada contra o Paris Saint-Germain.
Pouco depois, foi contratado pelo time francês, na mais cara transação até hoje no futebol mundial.
Neymar não atua bem pela Seleção Brasileira?
Já é o quinto maior artilheiro da história da Seleção Brasileira: atrás de Pelé, Ronaldo, Zico e Romário. Se marcar um gol hoje, iguala o “baixinho”.
Foi eleito o melhor jogador da Copa das Confederações no Brasil, em 2013. Marcou, na final, contra a Espanha. Nos Jogos Olímpicos do Rio, Neymar liderou a Seleção Brasileira ao primeiro ouro da sua história. Na final, contra a Alemanha, fez o gol durante a partida, que terminou empatada em um gol e bateu o último e decisivo pênalti.
Neymar é o cara.
Neymar, dentro de campo, é 10!
Quem o tempo todo critica Neymar dentro de campo me deixa de cabelo em pé!
_________________________________________________
Airton Gontow é jornalista, cronista e diretor do site de relacionamento Coroa Metade. Está cobrindo o Mundial direto da cidade Gontowisky, onde a situação está geralmente russa. A viajou a convite da Air Town.
N.RO texto foi enviado antes da partida de hoje, contra a Costa Rica.  Agora, Neymar já é o quarto maior artilheiro da Seleção Brasileira, ao lado de Romário. E com o gol, sua média subiu para 0,71 por jogo.  

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS