por Carlos Gontow

Você sabe dirigir? Então deve lembrar das suas primeiras lições de direção, seja com seu pai, sua mãe ou na autoescola. Era tanta coisa para aprender ao mesmo tempo! Pisar na embreagem, colocar o carro em primeira, soltar a embreagem devagar e pisar no acelerador ao mesmo tempo… Lembra como você tinha que pensar para fazer isso? E como o carro pulava e morria? (Veja uma cena apresentada no programa “Lá em Casa”, da Rede Mulhe, em 2000. Eu interpreto o professor da autoescola e a Flávia interpreta uma aluna na sua aula número 87.   http://www.youtube.com/watch?v=Vp4wg32uJxQ )

Já contei que tive 27 aulas de autoescola até aprender! E mesmo assim, quando eu ia dirigir o carro da minha mãe, ninguém podia falar comigo. Eu tinha que me concentrar no que estava fazendo. Tinha que ser tudo absolutamente em silêncio, para eu pisar nos pedais e trocar de marcha. Cada vez, tinha que pensar antes de fazer qualquer coisa. Rádio ligado? Nem pensar! Tinha que ter concentração total. Uma vez a minha tia Heni me botou para dirigir o carro dela na Freeway, uma estradano Rio Grande do Sul, e me lembro da tensão no meu pescoço. Mas lá fui eu!

Hoje em dia, dirijo, converso, ouço rádio, canto, tudo ao mesmo tempo – só não falo ao celular, pois é contra a lei e, principalmente, porque é perigoso! O que aconteceu? Tornei os movimentos mecânicos.  Faço tudo automaticamente, sem pensar.

Pois é, se você já sabe dirigir há bastante tempo, hoje também não precisa ficar pensando no que está fazendo. Faz tudo mecanicamente.

A mesma coisa acontece quando você aprende a falar inglês. Você precisa automatizar as coisas, precisa deixar aquilo tão mecânico que não precisa pensar para falar. Você aprende uma coisa nova. No começo é difícil, claro, porque tudo é difícil no começo. Se você fizer um exercício, ou falar uma  vez uma  frase com a estrutura nova, acha que vai mecanizar? Claro que não! Você precisa repetir, repetir, repetir, repetir até que aquilo fique mecânico – como dirigir.

Se aprende uma estrutura nova, na primeira vez que for usá-la, vai pensar em como construir a frase. Você ainda não tem certeza então falará mais devagar. Em vez de pensar “piso na embriagem… coloco em primeira… solto o freio de mão….” você vai pensar, “If I … had… studied … more… I… I…. would have…. learned… more.” (Leia colocando pausas onde tem as reticências.) Vejo muitos alunos que, quando peço para formarem uma frase, fazem como no exemplo acima e dizem, “Pronto, já acabei.” Na verdade, eles acabaram de começar. Depois de fazer a frase, é preciso repeti-la muitas e muitas vezes, até que você consiga falar sem hesitar. Para que isso aconteça, terá que repetir a frase cinco, dez, vinte vezes – depende de você. E depois que terminar o exercício na sala de aula, deve tentar inventar as suas próprias frases. Na primeira vez, você falará mais devagar, porque ainda está pensando, mas quanto mais repetir, mais depressa vai falar. Quando tiver repetido esse processo muitas e muitas vezes, começará a tornar aquela estrutura mais automática. Um dia, quando você menos espera, vai aparecer uma situação em que aquela estrutura virá naturalmente à sua mente quando você estiver falando. Sem precisar pensar.

Dá trabalho? Claro que dá?

Vale a pena? Claro que vale! Você não quer aprender inglês?

Hoje em dia, eu sei que fiz 27 aulas de autoescola, mas não me lembro das aulas. Todo o trabalho que passei e as inseguranças que tive até chegar ao fim sumiram da minha memória. Mas tenho comigo o resultado daquele trabalho. Hoje, sei dirigir.

A mesma coisa acontecerá com você. Um dia você não lembrará das horas que passou treinando. Não lembrará de quantas páginas de lição de casa você fez. Você vai apenas saber falar inglês. E será ser muito bom!

Até a próxima,

(Adaptado do blog “Dicas Para Aprender Inglês”)

Escritor, ator, diretor de teatro e blogueiro, Carlos Gontow (foto no alto da página) é professor de inglês há 26 anos. Trabalha com ensino de inglês através de teatro, música e jogos. Tem experiência no ensino de crianças, adolescentes e adultos. Também dá cursos e ministra palestras de treinamento para professores de inglês. É ator e diretor de peças de teatro em inglês. É autor dos livros “The Classroom is a Stage – 40 Short Plays for English Students” (215 páginas, R$ 62,00 em media), “101 Dicas Para Você Aprender Inglês Com Sucesso” (344 páginas, R$ 58,00 em média) e , com Cris Gontow, “Aprenda Inglês Cantando e Aprenda a Cantar em Inglês”(172 páginas, R$ 36,00), todos publicados pela DISAL Editora. É também autor do blog “Dicas Para Aprender Inglês” (http://dicasingles.wordpress.com)  – dicas preciosas, que também são publicadas em nosso jornal.

Curta e compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS